Plano de divulgação
Geral
Assunto
Pré-natal
Disponibilidade
Ano - 2019
Variáveis
  • Mulheres com parto a termo ou pós-termo que tiveram 6 ou mais consultas de pré-natal
  • Mulheres com parto a termo ou pós-termo que tiveram 6 ou mais consultas de pré-natal, considerando um intervalo de confiança de 95% - limite inferior
  • Mulheres com parto a termo ou pós-termo que tiveram 6 ou mais consultas de pré-natal, considerando um intervalo de confiança de 95% - limite superior
  • Coeficiente de variação - Mulheres com parto a termo ou pós-termo que tiveram 6 ou mais consultas de pré-natal
  • Percentual de mulheres com parto a termo ou pós-termo que tiveram 6 ou mais consultas de pré-natal
  • Percentual de mulheres com parto a termo ou pós-termo que tiveram 6 ou mais consultas de pré-natal, considerando um intervalo de confiança de 95% - limite inferior
  • Percentual de mulheres com parto a termo ou pós-termo que tiveram 6 ou mais consultas de pré-natal, considerando um intervalo de confiança de 95% - limite superior
  • Coeficiente de variação - Percentual de mulheres com parto a termo ou pós-termo que tiveram 6 ou mais consultas de pré-natal
Classificações
Rendimento mensal domiciliar per capita
  • Total
  • Sem rendimento até 1/4 do salário mínimo
  • Mais de 1/4 a 1/2 do salário mínimo
  • Mais de 1/2 a 1 salário mínimo
  • Mais de 1 a 2 salários mínimos
  • Mais de 2 a 3 salários mínimos
  • Mais de 3 a 5 salários mínimos
  • Mais de 5 salários mínimos
Níveis Territoriais
  • Brasil (BR)
Notas
Foram consideradas as mulheres de 15 anos ou mais de idade cujo último parto ocorreu no período de referência.
Exclusive as pessoas cuja condição no domicílio era "Pensionista", "Empregado doméstico" ou "Parente de empregado doméstico".
Em 2013, as pessoas em licença remunerada na semana de referência da pesquisa e que estavam afastadas por período inferior a 4 meses eram classificadas como "ocupadas". Caso esse afastamento fosse igual ou superior a 4 meses, essas pessoas eram definidas como "fora da força de trabalho" e, portanto, não se investigava o rendimento do trabalho.
A partir de 2019, em acordo com as recomendações da 19ª Conferência Internacional de Estatísticos do Trabalho - CIET, da OIT, pessoas em licença remunerada, independentemente do tempo de afastamento, passaram a ser classificadas como "ocupadas" e seus rendimentos do trabalho foram coletados normalmente.
Caso a mulher tenha tido mais de um parto no período de referência, foi considerado o último parto.
Fonte
IBGE - Pesquisa Nacional de Saúde